sábado, novembro 28, 2020

Projeto incentiva plantio de árvores frutíferas em centros urbanos


Irmãos Miguel e Khalil Axcar contam com ajuda de voluntários; o sonho é criar um pomar em cada município do País. Espécies frutíferas nativas do Brasil são escolhidas para o plantio dos pomares
Arquivo/Fruto Urbano
Dois irmãos, muitos voluntários, seis anos de trabalho e a vontade de aproximar a natureza dos centros urbanos: a soma de todos os esforços resultaram no plantio de mais de 50 mil mudas de árvores nativas.
Com o objetivo de transformar as cidades mais arborizadas, com acesso a parques, bosques e principalmente a pomares públicos, o projeto “Fruto Urbano” conta com auxílio de apoiadores voluntários comprometidos com o futuro do planeta, incentivados por Miguel e Khalil Axcar, de Bauru (SP). “Começamos sozinhos, plantando árvores de bicicleta. Um dia anunciamos no Facebook e vários amigos apareceram para ajudar. Daí em diante o projeto ganhou força, chegamos a plantar 450 mudas com auxílio de 500 voluntários em um único dia”, conta Miguel, que ao lado do irmão, se dedica a um grande desafio.
“Nosso sonho é construir pelo menos um pomar urbano em cada um dos municípios do Brasil. Além disso, esperamos ter recursos para oferecer educação ambiental, disponibilizar metodologia e experiência operacional de plantio, ferramentas, mudas e mídias de mobilização para todos que queiram arborizar suas cidades”, conta.
Voluntários ajudam com doação de mudas e no plantio coletivo dos pomares urbanos
Arquivo/Fruto Urbano
O caminho é longo, mas os anos de trabalho já dão frutos. “Temos plantios coletivos estabelecidos em cidades como Bauru, Agudos, Piratininga, Duartina e Bariri. Recebemos demandas da população, procuramos empresas para custeio das ações e, quando conseguimos recursos para a compra de mudas, ferramentas e insumos, marcamos um plantio coletivo com a comunidade”, detalha o engenheiro, que ressalta a importância dos voluntários.
“Plantios coletivos de árvores nativas frutíferas são muito caros: cada muda custa entre R$20 e R$ 50 e um pomar urbano exige entre 50 a 300 mudas. Por isso, contamos com parceiros para a realização das atividades, voluntários que ajudam nas mais diversas áreas, além da doação de insumos e até lanches que servimos às comunidades durante os plantios”, completa.
Cada voluntário ou empresa, dentro de sua atuação, ajuda como pode. Cada vez que reunimos esforços a cidade ganha um novo pomar
Irmãos começaram o projeto há seis anos, plantando espécies pela cidade de Bauru (SP)
Arquivo/Fruto Urbano
Pomares pela cidade
Além da boa vontade e amor à natureza, a única regra do projeto é plantar mudas nativas frutíferas. “Optamos pelas espécies típicas do Brasil pois, além de todos os benefícios das árvores em áreas urbanas, conseguimos aumentar a quantidade de alimentos para as aves, animais e pessoas, além de conseguir despertar a consciência da produção de comida orgânica de qualidade”, explica Miguel, que destaca ainda a facilidade na manutenção.
“As árvores frutíferas são o pilar no contexto da permacultura, considerando que elas exigem pouco trabalho inicial e rendem alimento por muito tempo sem necessidade de tanta manutenção, diferente de uma horta ou produção de vegetais”, completa.
Primavera é período indicado para o plantio de árvores: confira orientações
O objetivo é incentivar o plantio de espécies nativas em todos os municípios brasileiros
Arquivo/Fruto Urbano
Para orientar os plantios coletivos e outras pessoas interessadas em plantar espécies nativas, os irmãos produziram uma cartilha online e gratuita com informações como: porque priorizar frutíferas? Entenda os tipos de árvores; entenda os malefícios de plantar árvores exóticas; observe as condições climáticas no dia do plantio e, ainda, quais ferramentas são necessárias. “Esse documento, que sintetiza tudo o que aprendemos até o momento, tem sido usado por muitos projetos ambientais pelo Brasil”, comemora o engenheiro.
Quando questionado sobre o futuro do projeto, Miguel espera que as sementes cresçam como benefícios à natureza e à sociedade. “Lutamos por cidades onde todas as pessoas, incluindo moradores de regiões economicamente desfavorecidas – que normalmente não estão no centro das agendas das administrações municipais – tenham acesso a parques, bosques e pomares públicos, pois entendemos que a natureza no contexto urbano é muito importante na melhoria da qualidade vida, diminuição do estresse, redução da poluição e para usos como lazer”, finaliza.
Porque espécies nativas e frutíferas?
O alimento é exatamente os que os animais nativos precisam.
Fazem parte de uma determinada floresta onde uma espécie ajuda a outra, de diversas formas.
Dificilmente espécies nativas são exterminadas por pragas, pois já desenvolveram muito bem uma defesa para cada praga da região. Muito indicadas em plantios orgânicos, que desejam não utilizar agrotóxicos.
A relação entre os nutrientes disponíveis e os nutrientes necessários para a árvore é harmoniosa.

Ultimas Notícias

Joias de Cabral ajudam Ministério da Justiça a bater recorde

O valor arrecadado pelo Ministério da Justiça com leilões de bens confiscados bateu recorde este ano: 125 milhões de...

Pagamento do 13º salário deve injetar R$ 1,9 bilhão no comércio de Campinas, diz associação

Acic diz que valor representa redução de 1,75% no comparativo com o ano passado, quando foram movimentados R$...

Eleições 2020: urnas eletrônicas são levadas para locais de votação em Campinas

No total, 2,2 mil equipamentos foram levados para as 263 seções da metrópole neste sábado. Votação acontece no...

VÍDEOS: EPTV 1 região de Campinas de sábado, 28 de novembro

Veja as reportagens das regiões de Campinas e Piracicaba. Veja as reportagens das regiões de Campinas e...

Caminhão arrasta fios e deixa moradores sem internet em rua de Campinas

Acidente aconteceu na Rua Frederico Ozanan. Telespectadores enviaram imagens à EPTV. Um caminhão arrebentou cabos de rede...
- Advertisement -