sábado, dezembro 5, 2020

Juiz do TJRJ tinha código para chamar homem da propina no WhatsApp

Investigado por venda de sentença no TJRJ, o juiz João Amorim recebia propina em casa toda semana, contou aos investigadores do MPRJ um dos delatores do esquema, Charles Fonseca William.

Para chamar o entregador da grana, o magistrado tinha até um código no WhatsApp: “Estamos aí”. Sempre que recebia a mensagem, o homem da mala sabia que deveria procurar Amorim no seu endereço.

“O Depoente esclarece que quando o juiz escrevia ‘estamos aí’, queria dizer que ele (juiz) queria receber o valor da propina referente aos honorários que o perito recebeu”, diz o delator.

 

 

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Região de Campinas movimenta R$ 636 milhões na Black Friday e faturamento supera 2019, diz Acic

Levantamento mostra aumento de 32,5% em relação ao mesmo período do ano anterior....

Shopping e linha de ônibus em Campinas registram aglomerações no 1º sábado após retorno da fase amarela; vídeo

Corredores do centro de compras tiveram movimentação intensa neste sábado (5). Já na linha 654, que opera o...

VÍDEOS: EPTV 2 Campinas de sábado, 5 de dezembro

Veja as notícias de destaque nas regiões de Campinas e Piracicaba. Veja as notícias de destaque nas regiões...

Covid-19: os países que já começaram a vacinar

As vacinas para combater o novo coronavírus em todo o mundo avançam a passos largos. Os laboratórios mais adiantados já anunciaram resultados de eficácia...

Campinas deixa de atingir meta em campanha de vacinação contra pólio; há doses disponíveis

Com 34,3 mil doses aplicadas durante os 56 dias da ação, cidade atingiu 58,4% do público-alvo, mas meta...
- Advertisement -