quarta-feira, dezembro 2, 2020

Guedes: prorrogação do auxílio se houver segunda onda não é possibilidade, é certeza

Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo prorrogará o auxílio emergencial, caso haja uma segunda onda da pandemia do coronavírus no Brasil.

“Prorrogação do auxílio emergencial se houver segunda onda não é possibilidade, é certeza. Se houver segunda onda da pandemia, o Brasil reagirá como da primeira vez. Vamos decretar estado de calamidade pública e vamos recriar auxílio emergencial”, afirmou.

Segundo o ministro, essa não é a expectativa, mas é previsto pela equipe econômica como uma contingência.

“O plano A para o auxílio emergencial é acabar em 31 dezembro e voltar para o Bolsa Família. A pandemia descendo, o auxílio emergencial vai descendo junto. A renovação do auxílio emergencial não é nossa hipótese de trabalho, é contingência”, completou.

Em evento virtual organizado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Guedes disse que, se for necessária a prorrogação, a ideia é que o país gaste menos do que no primeiro enfrentamento da pandemia. “Ao invés de gastar 10% do PIB, talvez gastemos 4%”, completou. “O Brasil vai furar as duas ondas, estamos saindo do lado de lá”.

Leia também: A segunda onda da pandemia vai chegar ao Brasil? Veja o que dizem 3 autoridades no assunto

Guedes voltou a dizer que o plano da equipe econômica era que o auxílio emergencial “aterrissasse” no Bolsa Família ou Renda Brasil, o que ainda está em estudo. “Politicamente, o programa Renda Brasil não foi considerado satisfatório pelo presidente. No meio da eleição, não era hora de ter essa discussão”, completou.

O ministro afirmou que o valor do auxílio emergencial, que foi inicialmente de R$ 600, ficou acima do que ele esperava, que era de até R$ 400. Para Guedes, os R$ 600 podem ter sido um “exagero”, mas ele disse não se arrepender porque o benefício foi importante para a reação da economia.

Ameaça de ‘caos social’

Guedes disse também que o Brasil passou por uma ameaça de “caos social”, que não ocorreu porque não houve desabastecimento de produtos nas prateleiras dos supermercados. “Brasil resistiu porque o campo seguiu produzindo e rede de supermercados manteve a população abastecida nesse período. As redes de supermercados mantiveram a economia em funcionamento”, afirmou.

O ministro voltou a dizer que a economia está voltando com força “como um urso que estava hibernando”.

Ele afirmou que a arrecadação de impostos neste mês está “extraordinária”, assim como outros indicadores antecedentes. “Mesmo sendo otimista, me surpreendeu a velocidade com que a economia brasileira está voltando”, completou.

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:

Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

The post Guedes: prorrogação do auxílio se houver segunda onda não é possibilidade, é certeza appeared first on InfoMoney.

Ultimas Notícias

Após ceder, ponte entre Sumaré e Nova Odessa é retirada e moradores ficam sem acesso

Estrutura ligava os bairros São Jorge e Jardim Picerno e servia de passagem...

Shoppings de Campinas e comércios de rua alteram funcionamento após retrocesso para fase amarela; veja mudanças

A partir desta quarta-feira, a capacidade máxima é de 40% e os estabelecimentos podem ficar abertos apenas por...

Bolsonaro promete rever decreto que restringe aplicativos de ônibus

O embate entre fretadores e aplicativos de transporte rodoviário, como o Buser, versus as companhias regulares ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira, 2.Uma comitiva...

VÍDEOS: EPTV 1 Campinas de quarta-feira, 2 de dezembro

Veja reportagens das regiões de Campinas e Piracicaba. Veja reportagens das regiões de Campinas e Piracicaba.

Mesmo com impactos da Covid-19, 71% das indústrias da região de Campinas devem fazer novas contratações em 2021, diz Ciesp

Segundo o órgão, resultados da sondagem industrial com 60 empresas são positivos e indicam melhora no setor. Por...
- Advertisement -