sábado, janeiro 16, 2021

Empresária cria agrofloresta urbana em Tocantins para atrair espécies de aves


Assustada com a ausência de fauna e flora no bairro onde mora, Yanna Coelho investiu no local; mais de 40 aves diferentes já foram observadas em menos de três meses. A empresária adquiriu o espaço em julho e já percebe a presença de biodiversidade no bairro
Yanna Coelho/Gente da Terra
Já ficou em silêncio por alguns minutos para poder escutar os sons da natureza? Ou então, separou um tempo no seu dia para admirar as aves que aparecem no quintal? Até julho deste ano isso não era possível no bairro da empresária Yanna Fernanda Coelho, que mora em Luzimangues, próximo à Palmas (TO). “Eu sou observadora de aves, mas por conta do trabalho não tenho tempo para organizar viagens e passarinhadas em outros lugares. Comecei a andar pelo bairro em busca de flagrantes, mas me surpreendi ao perceber a escassez de natureza na região”.
O incômodo com a ausência da fauna e da flora foi tanto que serviu de incentivo para um grande investimento: em julho, em meio à pandemia, Yanna e a sócia, Olivia Marques, compraram e transformaram o terreno ao lado da casa da empresária em uma agrofloresta urbana. “São quase 400 metros quadrados que abrigam desde pequenas espécies, como hortaliças, até árvores de grande porte, como jatobá e baru. Toda a produção é orgânica, a manutenção é feita quase que artesanalmente e o alimento que colhemos é consumido pela família e doado para vizinhos e amigos”, conta a engenheira ambiental, que fica surpresa com os frutos dessa iniciativa.
“Começamos o plantio no começo de julho e em apenas três meses já produzimos mais de 100 quilos de pepino, em dois canteiros pequenos de oito metros quadrados cada um. Isso é só uma amostra de tudo o que a agrofloresta pode oferecer”, diz.
Hortaliças e plantas ornamentais são algumas das espécies de pequeno porte cultivadas no local
Yanna Coelho/Gente da Terra
Os alimentos que abastecem a mesa da família servem também como refeição para as aves, que em pouco tempo passaram a frequentar a região. “Eu fico muito feliz e surpresa por observar tantas espécies diferentes em poucos meses. É claro que esperava observar algumas delas, mas jamais imaginei ser dessa forma”, conta a observadora, que já listou 47 espécies de aves.
Tamanha variedade justifica o nome do local: ‘Tô Passarinhando’. “Ali eu juntei tudo o que eu gosto. É um espaço que me permite ter esse contato diário com a terra, passou a ser uma terapia matinal que me prepara para encarar os desafios do dia”, comenta.
A ideia de atrair aves para a região foi contemplada mais rápido do que Yanna imaginava ser possível
Yanna Coelho/Gente da Terra
Entre os flagrantes destacam-se uma família de gavião-carijó e um tucanuçu, que ‘posou’ para as lentes de Yanna enquanto se refrescava no bebedouro. “O fato de ter todas essas espécies por perto é muito gratificante. Saber que estou fazendo algo significativo para a natureza, proporcionando um ambiente com vida, aves cantando e se alimentando do alimento que eu mesma estou produzindo é motivo de muito orgulho”, completa a empresária, que pretende manter o espaço e futuramente construir uma casa de bioconstrução, seguindo conceitos da permacultura, que une práticas para ocupações humanas sustentáveis.
Agroecologia é estratégia para salvar populações de mico-leão-dourado
A proposta é que as espécies sejam cultivadas de forma orgânica e se desenvolvam de forma equilibrada
Arte/TG
Veja mais fotos!
O espaço possui quase 400 metros quadrados e é ocupado por diversas espécies da flora
Yanna Coelho/Gente da Terra
Flagrante de gavião-carijó é um dos destaques entre as observações
Yanna Coelho/Gente da Terra
O plantio é orgânico e o alimento é consumido pela família, amigos e vizinhos das engenheiras
Yanna Coelho/Gente da Terra

Ultimas Notícias

Oxford: Voo que buscaria 2 milhões de doses da vacina na Índia é cancelado

O voô brasileiro que iria buscar as 2 milhões de doses da vacina de Oxford, na Índia, foi cancelado....

Philco doa todo seu estoque de oxigênio para Manaus

A Philco anunciou nesta sexta-feira, 15, a doação de “100% de seu estoque atual de oxigênio” ao governo do Amazonas. O material é utilizado...

Manaus: ‘não cumprimento das restrições’ levou a situação atual, diz OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta sexta-feira, 15, que a situação crítica em toda a América do Sul, incluindo Manaus, não deve...

Cidades do interior do Amazonas fazem apelo por oxigênio medicinal

A situação das cidades do interior do Amazonas está indo pelo mesmo caminho de Manaus — que sofre com a falta de oxigênio em...

Pacientes de Manaus enviados para Teresina estão em área isolada

Por conta do desabastecimento de oxigênio em Manaus, capital do Amazonas, fez se necessário transferir pacientes para outras regiões brasileiras. O primeiro grupo a...
- Advertisement -