sábado, janeiro 23, 2021

Covid-19: como será a vacinação no Reino Unido, que começa nesta terça

Tão logo a primeira vacina para Covid-19 foi aprovada no Reino Unido, no último dia 2, o governo britânico publicou a lista de grupos para receber as doses iniciais do medicamento, operação que está prometida para ser iniciada na terça-feira, 8. O imunizante a ser recebido por esse púbico é o desenvolvido pela farmacêutica americana Pfizer em parceria com a empresa de biotecnologia alemã BioNTech. O fármaco recebeu aval da agência reguladora após apresentar resultados de eficácia em 95%.

Em nota, o governo local anunciou que as primeiras vacinações terão como meta proteger as pessoas com maior risco de morte pela doença e assegurar o funcionamento do sistema de saúde e assistencia social local. As autoridades publicaram uma lista de público prioritário definindo esses grupos. “A ordem de prioridade para cada grupo na população corresponde aos dados sobre o número de indivíduos que precisariam ser vacinados para prevenir mortes, estimado a partir de dados do Reino Unido obtidos de março a junho de 2020”, diz o documento.

A lista de prioridades será nessa ordem

Residentes de lares para idosos e seus cuidadores

Com 80 anos ou mais e profissionais de saúde e assistência social da linha de frente

Com 75 anos ou mais

Com 70 anos ou mais

Aqueles clinicamente vulneráveis

Continua após a publicidade

Com 65 anos ou mais

Dos 16 anos aso 64 anos com condições de saúde subjacentes que os colocam em maior risco de doenças graves e mortalidade

Com 60 anos ou mais

Com 55 anos ou mais

Com 50 anos ou mais

De acordo com o governo, estima-se que, em conjunto, esses grupos representem cerca de 99% da mortalidade evitável por Covid-19.

Em um segundo momento, a ideia será reduzir as internações, com vacinação direcionada às pessoas com alto risco de exposição ou aos que prestam serviços públicos essenciais.  Os grupos são os seguintes: Forças Armadas;  envolvidos no sistema de justiça; professores;  trabalhadores de transporte;  servidores públicos essenciais para a resposta à pandemia.

Neste domingo, 6, o Brasil atingiu 6.603.540 casos e 176.941 óbitos confirmados em todo o território nacional em decorrência da Covid-19.

!function(e,t,s,i){var n=’InfogramEmbeds’,o=e.getElementsByTagName(‘script’),d=o[0],r=/^http:/.test(e.location)?’http:’:’https:’;if(/^/{2}/.test(i)&&(i=r+i),window[n]&&window[n].initialized)window[n].process&&window[n].process();else if(!e.getElementById(s)){var a=e.createElement(‘script’);a.async=1,a.id=s,a.src=i,d.parentNode.insertBefore(a,d)}}(document,0,’infogram-async’,’//e.infogr.am/js/dist/embed-loader-min.js’);

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia

O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira, 22, que o governo federal vai criar um Fundo Epidemiológico para reforçar...

Butantan começa a distribuir segundo lote de vacinas para o Brasil

O Instituto Butantan iniciou nesta sexta-feira, 22, o início da distribuição do segundo lote de vacinas contra o coronavírus para o Ministério da Saúde....

Oxford: 2 milhões de doses da Índia chegam ao Brasil

A vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade Oxford em parceria com a Astrazeneca chegou ao Brasil nesta sexta-feira, 22. As 2 milhões de...

Lewandowski encaminha à PGR notícia-crime contra Bolsonaro

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhou à Procuradoria-Geral da República nesta sexta-feira uma notícia-crime oferecida por parlamentares do PCdoB contra Jair Bolsonaro e...

CoronaVac: Anvisa aprova uso emergencial de mais 4,8 milhões de doses

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial do segundo lote com 4,8 de doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac...
- Advertisement -