segunda-feira, janeiro 25, 2021

‘Bolsonaro 171’ vira assunto do momento no Brasil

O presidente Jair Bolsonaro vem sofrendo um bombardeio de críticas nas redes sociais nesta manhã de domingo. Ele é criticado após pesquisadores citados em plano de vacinação do governo anunciarem que não foram consultados antes do anúncio. A hashtag “#Bolsonaro171” virou assunto do momento no Brasil no Twitter, uma referência ao artigo do Código Penal que tipifica o crime de estelionato.

A falta de autorização dos pesquisadores antes da divulgação de um plano de vacinação é comparada a ‘falsidade ideológica’ do governo. A mensagem da epidemiologista Ethel Maciel, surpresa com a divulgação de um plano que não foi assinado pelos pesquisadores, foi reproduzida em várias páginas na internet. As principais críticas são feitas ao governo pela falta de um projeto claro para a vacinação em massa. O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, ganhou uma foto de “general humilhado do mês’.

Internautas aproveitaram para descarregar várias críticas contra o governo, postando montagens de Bolsonaro e sua esposa Michelle ao lado da cabines que o Palácio do Planalto usou para mostrar as roupas que o casal usou na posse presidencial. Nas montagens, no entanto, as roupas foram substituídas por uniformes de presidiários.

Os internautas também fazem montagens com a primeira dama Michelle Bolsonaro vestida com roupa que reproduz a imagem de um cheque, onde vem a pergunta sobre a origem do dinheiro que ela recebeu de Fabrício Queiroz, que controlava o esquema de ‘rachadinha’ no gabinete do então deputado estadual e hoje senador Flávio Bolsonaro.

Há também críticas pesadas ao presidente pelo alinhamento do governo com o bloco do Centrão no Congresso Nacional, apoiando a candidatura do deputado Arthur Lira (PP-AL) e ainda por liberar emendas parlamentares para tentar eleger parlamentares afinados com o governo.

Em outras mensagens, os internautas lembram das vezes em que o governo teria divulgado informações falsas. Internautas lembra que o governo admitiu que o então ministro da Justiça Sergio Moro não assinou a demissão o diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, desmentindo o presidente.

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Para vacinar rapidamente é preciso despolitizar imediatamente

Assistimos hoje no mundo ao que se pode chamar de uma corrida entre infecções e injeções. Aliás, não uma,...

As respostas para as principais dúvidas sobre a vacinação contra Covid-19

A campanha de vacinação contra a Covid-19 começou no Brasil na última semana, após a aprovação de uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância...

Após pedido de inquérito, Pazuello vai a Manaus ‘sem data para voltar’

Ameaçado por um pedido de abertura de inquérito junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) e sentindo-se ameaçado no cargo, o ministro da Saúde, ...

Fura-filas terão que ‘esperar a sua vez’ para receber 2ª dose, diz Justiça

Além de ficarem sujeitos “à prisão em flagrante delito em caso de insistirem no ilícito”, as pessoas que foram consideradas “fura-filas” por terem tomado...

Covid: Alemanha adotará tratamento experimental usado por Trump

Remédios formulados com anticorpos para tratar a Covid-19 serão adotados pela Alemanha. A terapia, ainda experimental, foi usado pelo então presidente americano Donald Trump...
- Advertisement -