segunda-feira, janeiro 25, 2021

Lewandowski proíbe que União requisite agulhas e seringas de São Paulo

O ministro Ricardo Lewandowski, do STF, proibiu que a União requisite seringas e agulhas compradas pelo governo de São Paulo — destinadas a vacinação contra a covid-19. A decisão tem caráter liminar e foi tomada em uma ação apresentada pelo estado. 

De acordo com o despacho, o ministro determina ainda que o governo federal devolva qualquer material que já tenha sido confiscado em até 48 horas, sob pena de multa diária de 100.000 reais. O plenário do STF ainda deverá analisar a decisão.

Segundo o magistrado, nos termos da jurisprudência do STF, a “requisição administrativa não pode se voltar contra bem ou serviço de outro ente federativo, de maneira a que haja devida interferência na autonomia de um sobre outro”.

Lewandowski ressaltou também que em caso semelhante, o ministro Luís Roberto Barroso suspendeu ato “por meio do qual a União requisitou cinquenta ventiladores pulmonares adquiridos (pelo Estado de Mato Grosso) junto a empresa privada”.

Para o ministro, “a incúria do Governo Federal não pode penalizar a diligência da administração estadual, a qual tentou se preparar de maneira expedita para a atual crise sanitária”.

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Marinho diz esperar “sensibilidade” para definição sobre novo auxílio emergencial

Diante da crescente pressão por uma nova rodada de auxílio emergencial para ajudar os mais vulneráveis à crise da...

Para vacinar rapidamente é preciso despolitizar imediatamente

Assistimos hoje no mundo ao que se pode chamar de uma corrida entre infecções e injeções. Aliás, não uma, mas várias corridas – posto...

As respostas para as principais dúvidas sobre a vacinação contra Covid-19

A campanha de vacinação contra a Covid-19 começou no Brasil na última semana, após a aprovação de uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância...

Após pedido de inquérito, Pazuello vai a Manaus ‘sem data para voltar’

Ameaçado por um pedido de abertura de inquérito junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) e sentindo-se ameaçado no cargo, o ministro da Saúde, ...

Fura-filas terão que ‘esperar a sua vez’ para receber 2ª dose, diz Justiça

Além de ficarem sujeitos “à prisão em flagrante delito em caso de insistirem no ilícito”, as pessoas que foram consideradas “fura-filas” por terem tomado...
- Advertisement -