quarta-feira, abril 14, 2021

Campinas amplia suspensão de aulas presenciais nas redes pública e privada até dia 30


Medida mais restritiva que prevê o Plano SP já é adotada pelo município desde 3 de março e foi prorrogada com a fase emergencial; entenda o que pode funcionar na metrópole. Escolas de Campinas (SP) devem retomar aulas presenciais após liberação do governo de São Paulo.
Reprodução/EPTV
Campinas (SP) ampliou até 30 de março a suspensão das aulas presenciais em escolas das redes pública e privada. A medida anunciada em live nesta sexta-feira (12) faz parte do decreto que adequa o município à fase emergencial de combate à pandemia, mas já vinha sendo adotada na metrópole desde o dia 3 de março.
O texto que define a adoção das regras da fase emergencial no município a partir de segunda-feira (15) não prevê, por exemplo, o toque de recolher entre 20h e 5h, anunciado pelo governador, mas que não consta no decreto estadual.
Fase emergencial em Campinas
Proibição do uso parques
Proibição de qualquer aglomeração
Usar máscara em todos os ambientes, internos e externos
Atividades com restrição completa
Serviço de retirada (take-away) de todos os setores
Lojas de materiais de construção
Celebrações religiosas coletivas (recepção pode ser individual)
Atividades esportivas
Teletrabalho obrigatório para atividades administrativas não essenciais
Órgãos públicos
Escritórios e qualquer atividade desde que o setor não seja essencial
Não autorizada a entrega de alimentos e produtos ao cliente no estabelecimento comercial
Permitido somente serviços de drive-thru (entre 5h e 20h) e delivery 24h para restaurantes e outros estabelecimentos comerciais
Educação
Com o novo decreto, Campinas mantém uma restrição ao setor mais severa que a determinada pelo estado. Apenas cursos técnicos ou superiores da área de saúde têm autorização para manter aulas presenciais na cidade.
A suspensão de aulas presenciais em Campinas foi citada pelo prefeito Dário Saadi (Republicanos) ao comentar sobre a recomendação da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) para que os governantes locais adotem medidas mais restritivas e avaliem, inclusive, o lockdown como forma de combate à pandemia.
“Nós estamos levando em conta essas recomendações. Nossas medidas estão mais restritivas que o Plano SP, como é o caso das escolas. Recebemos questionamento de nossas regras. Sabemos o prejuízo do ponto de vista pedagógico, mas na situação que estamos de UTIs, não tem como. Nossas restrições estão muito próximas do lockdown”, disse.
Drive-thru e delivery
Ao comentar o decreto municipal da fase emergencial, o secretário de Justiça, Peter Panutto, destacou que apenas serviços de entrega (delivery) ou retirada por drive-thru, aquela em que o consumidor não desce do carro para receber o produto, estão autorizadas no município.
Para o comércio da região central, que não dispõe de estrutura para realizar esse tipo de atendimento, o prefeito informou que a Emdec está fazendo um estudo para viabilizar o drive-thru. No entanto, não foi informado uma data de implantação ou como o esquema funcionará.
O que continua fechado
Comércio de rua e shoppings
Bares e restaurantes (somente delivery)
Venda de bebidas alcoólicas depois das 20h
Salões de beleza, cabeleireiros e similares
Academias, centros esportivos e clubes sociais
Aulas presenciais em faculdades, com exceção dos cursos superiores da área de saúde
Cinemas, teatros, salas de espetáculos, museus, galerias e bibliotecas
Eventos e convenções
Atividades liberadas
Saúde: hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, lavanderias e estabelecimentos de saúde animal;
Alimentação: supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres (diurnas e noturnas). É vedado o consumo no local;
Bares, lanchonetes e restaurantes: serviços de entrega (delivery) e que permitem a compra sem sair do carro (drive-thru). Válido também para lojas em postos de combustíveis; Há proibição de vendas de bebidas alcoólicas depois das 20h.
Abastecimento: cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis;
Logística: estabelecimentos e empresas de locação de veículos, oficinas de veículos, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos;
Serviços gerais: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos e bancas de jornais;
Segurança: serviços de segurança pública e privada;
Comunicação social: meios de comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens;
Transporte público
Apesar do anúncio de medidas mais restritivas, a prefeitura informou que não irá reduzir a frota do transporte público. O prefeito destacou, inclusive, que a cidade tem feito a ampliação nas linhas nos horários de pico.
“É importante o município atuar no transporte, mas pesquisas mostram que a transmissão do vírus é maior em lugares de festas, com consumo de bebidas alcoólicas, do que em ônibus”, pontuou.
Atendimento na prefeitura
Com a fase emergencial, os atendimentos à população no Paço Municipal e na administração indireta estão suspensos pelo menos até o dia 30 de março. Com isso, os servidores devem adotar o sistema de teletrabalho.
Hospital Metropolitano em Campinas
Reprodução/EPTV
Mais leitos
Durante a coletiva para apresentação das medidas restritivas, a prefeitura destacou que com a abertura de novos leitos de UTI na próxima semana, a rede municipal vai atingir um número de estruturas de terapia intensiva exclusivas para tratamento da Covid-19 maior que o registrado no ápice da primeira onda da pandemia: 160 contra 150 em 2020.
Entre esses leitos estão 20 UTIs previstas para começar a funcionar entre segunda (15) e terça-feira (16) na rede Mário Gatti.
Nesta sexta (12), a prefeitura ativou as 15 vagas de UTI no Hospital Metropolitano, unidade privada ocupada pela administração para o enfrentamento da pandemia. A abertura das vagas estava prevista para ocorrer na quinta (11) mas, diante da pressão e necessidade de internações de pacientes que procuraram atendimento no gripário, a medida foi postergada em um dia.
“Estão ativos (os leitos no Metrolitano). De quarta para quinta tivemos 200 atendimentos no gripário e até acomodar todo mundo, postergamos em um dia. Está sendo cumprido no dia de hoje”, disse Sérgio Bisogni, presidente da Rede Mário Gatti.
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

Ultimas Notícias

Caçador de auroras boreais: o jovem brasileiro que vive em busca das ‘luzes coloridas’

De Sorocaba (SP), hoje Filippo Dias vive na Finlândia e divulga imagens do...

Jaguariúna realiza testagem em massa da Covid-19 nesta quinta e sexta-feira; veja como fazer

Para participar é necessário comprovar residência na cidade. Ação poderá ser feita pelo sistema drive-thru. Os testes...

Dossiê da polícia revela sofrimento de jovem perseguida por ex-namorado há 10 anos: 'Me acostumei a sentir medo'

Beatriz Alencar, de 25 anos, trouxe história à tona após fazer um post em uma rede social detalhando...

Furto de fios em semáforos causa transtornos em Campinas pela segunda vez na semana

Cabos de equipamentos na Vila Perseu Leite de Barros já tinham sido levados na segunda-feira (12). Avenida Paulo...

SP inclui pessoas de 60 a 64 anos na vacinação contra Covid-19

O estado de São Paulo incluiu idosos de 60 a 64 anos nas próximas etapas da campanha de imunização contra a Covid-19. Essa faixa...
- Advertisement -