terça-feira, março 2, 2021

Campinas tem 100% de ocupação em UTIs Covid da rede pública e depende de transferência de pacientes para outras cidades


Prefeitura informou que regulação ocorre pelo sistema do estado e prometeu mais 15 leitos serão abertos entre segunda e terça-feira. Número de pacientes que aguardam vaga não foi informado. Hospital Municipal Ouro Verde, em Campinas
Carlos Bassan
A Prefeitura de Campinas (SP) confirmou que a rede pública de saúde está com lotação máxima nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para pacientes com Covid-19 neste domingo (21). Os moradores que necessitam de vagas estão aguardando transferência pela Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross) do estado.
O número de pacientes que aguardam vaga não foi informado neste domingo. Segundo a prefeitura, o dado será passado pela Secretaria Municipal de Saúde na segunda-feira (22).
A situação na rede particular também não foi informada. Até sexta-feira, os hospitais privados tinham 34 vagas em UTIs para pacientes com Covid-19. Na data, a cidade tinha 83,78% de ocupação nas UTIs.
Em 23 de janeiro, Campinas também ficou sem leitos vagos para UTI Covid, mas por quatro horas até que três vagaram. Naquele dia, o prefeito Dário Saadi (Republicanos) afirmou que a situação era “muito preocupante”.
Abertura de mais leitos
A prefeitura prometeu, também neste domingo, a abertura de mais 15 leitos de terapia intensiva entre segunda e terça-feira (23). As novas estruturas são prometidas desde o fim de janeiro.
Além desses, serão instalados outros 18 leitos de enfermaria e seis de transição na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Anchieta. Nos de transição ficam os pacientes que estão aguardando transferência para hospitais, em geral UTI.
Atualmente, as unidades mantidas pelo município (SUS municipal) possuem 107 leitos. Já os leitos do governo estadual (SUS estadual), que se resumem ao Hospital de Clínicas da Unicamp, são 20. Na rede particular há 132 leitos de UTI Covid.
Na fase mais severa da pandemia em 2020, Campinas chegou a ter cerca de 90 leitos de UTI Covid mantidos pelo estado. Além das vagas no HC da Unicamp, o Ambulatório Médico de Especialidades (AME) era usado exclusivamente para atender pacientes com coronavírus. Em outubro do ano passado, o AME iniciou os atendimentos gerais.
A oferta de leitos no SUS municipal também era maior entre junho e agosto do ano passado. No início de julho, por exemplo, só a prefeitura mantinha 145 estruturas — 38 a mais que atualmente.
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

Ultimas Notícias

Bolsonaro veta prazo de cinco dias para Anvisa aprovar vacinas

O presidente Jair Bolsonaro vetou nesta segunda-feira, 1º, para adequação à constitucionalidade e ao interesse público, o dispositivo que...

JBS abre 160 vagas para recém-formados em 38 cidades; veja lista

Relação de municípios inclui Amparo (SP), Jaguariúna (SP), Nova Veneza (SC), Brasília (DF) e Itapiringa (SC). Oportunidades são...

Hospital Sobrapar registra maior fila de espera por cirurgias de crânio e face em quatro décadas

Unidade sofre sobrecarga por conta da pandemia, já que outros centros estão dedicados ao enfrentamento da Covid-19; além...

Reclamações para Sanasa crescem 93,4% e valor da conta é principal motivo, diz levantamento

Em um ano, total de queixas recebidas por empresa responsável pelos serviços de água e saneamento em Campinas...

Participação e informação para evitar o colapso

A atual situação do Brasil na pandemia de Covid-19 em termos de contágio, mortes e saturação dos sistemas de saúde (público e privado) já...
- Advertisement -