domingo, abril 11, 2021

Com pandemia, Campinas registra alta de 23,5% nas mortes em um ano, diz associação de cartórios


Cidade teve 9,3 mil óbitos de qualquer natureza entre fevereiro de 2020 e março deste ano, período em que começou a lidar com Covid-19. Em relação à média desde 2003, crescimento foi de 40%. Cartórios registram 23,5% mais mortes em ano de pandemia em Campinas
O primeiro ano da pandemia em Campinas (SP) resultou no aumento de 23,5% nas mortes de qualquer natureza registradas pelos cartórios da cidade. O total de 9,3 mil óbitos também é muito superior a qualquer ano da série histórica iniciada em 2003.
Segundo a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen), entre março de 2020 — quando Campinas registrou os primeiros casos e morte — e fevereiro de 2021 a cidade somou 9.345 óbitos. No mesmo período de 2019, o número de falecimentos registrados foi de 7.566.
Campinas completa 1 ano de quarentena com temor por dias piores
A presidente da Arpen de São Paulo, Daniela Mroz, aponta que o aumento no período é muito superior ao observado entre um ano e outro na série histórica, já que, em média, a variação ficava entre 1,5%.
“A gente teve um salto gigantesco. Mais de 20% é uma curva ascendente muito grande e a gente só pode atribuir justamente ao que vem acontecendo em relação à pandemia”, analisa.
Os dados mostram, ainda, que o número de mortes é 41,5% maior que a média desde 2003, que é de 6.604. Como a variação natural entre um ano e outro é de 1,5%, o aumento considerado foi 40%, superior ao registrado no estado de São Paulo.
Em todo o estado, foram 368.533 mortes, 99.071, o que significa crescimento de 35,2% em relação à média para todas as cidades paulistas.
Vítimas da pandemia
Se a pandemia fez crescer o número absoluto de mortes na cidade, gerou também luto o trauma em diversas famílias. A contadora Márcia Santos entrou para a triste estatística após perder o pai e a mãe para a Covid-19.
O pai dela sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) em 2 de fevereiro e foi hospitalizado. Ao dar entrada, fez exame para novo coronavírus, e deu negativo. No entanto, quando após se recuperar e ter alta, começou a ter sintomas que não tinham relação com o AVC.
Moradora de Campinas, a contadora Márcia Santos perdeu pai e mãe na pandemia
Reprodução/EPTV
“Nós levamos para um outro hospital, que o levou direto para a UTI porque ele estava com Covid-19 e minha mãe nesse período também foi contaminada, falecendo um depois de três dias do outro”, explicou a contadora.
A família inteira da técnica de enfermagem Andréa Araújo Silva acabou contaminada com Covid-19, mas o caso mais grave foi do marido dela, de 42 anos, que não resistiu.
“A gente não estava saindo muito por conta de tudo que está acontecendo e os cuidados básicos que todo mundo deve tomar. Ele nunca saía sem máscara”, lembrou a técnica.
Vítima da Covid-19, marido de Andréa Araújo Silva tinha 42 anos
Reprodução/EPTV
Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

Ultimas Notícias

Ciclista fica ferido após ser atingido por moto e arremessado em Campinas

Acidente aconteceu na tarde deste domingo (11), na Avenida John Boyd Dunlop. Homem...

Indaiatuba abre inscrições para apresentações culturais virtuais; artistas receberão R$ 750

Interessados precisam ter 18 anos ou mais e apresentar comprovante de endereço fixo na cidade. Materiais selecionados serão...

PATs da região de Campinas ofertam 324 vagas de emprego nesta segunda-feira; veja cargos

Relação inclui postos para diversos níveis de escolaridade e oportunidades exclusivas para PCDs. Em virtude da pandemia, unidades...

Moto fica partida após condutor atingir traseira de carro na Bandeirantes, em Campinas

Acidente foi na noite de sábado (10), em pista norte. Motociclista teve lesões graves, diz polícia. Moto partiu...

Covid-19: ação em Campinas lacra bar com 60 clientes e coberto por lona para 'disfarçar' abertura

Ação conjunta da Guarda e PM no Jardim São Domingos ocorreu na noite de sábado (10), segundo prefeitura....
- Advertisement -