domingo, abril 18, 2021

Com 'problema' financeiro, Campinas condiciona auxílio emergencial municipal a remanejamento de verbas


Ao anunciar campanha de combate à fome, prefeito afirma que falta de repasse do governo federal gera dificuldade em meio aos gastos com abertura de leitos para pacientes com Covid-19. Dário Saadi, prefeito de Campinas, durante live para apresentar campanha de combate à fome
Reprodução/Facebook
A Prefeitura de Campinas (SP) estuda a possibilidade de criar um auxílio emergencial municipal, mas esbarra na falta de orçamento próprio, segundo o prefeito Dário Saadi (Republicanos). Durante o lançamento da campanha Campinas Sem Fome, o chefe do Poder Executivo afirmou que um programa de distribuição de renda dependeria remanejamento de verbas e não deu previsão para isso.
“Nós estamos estudando e se tiver a mínima oportunidade de remanejamento orçamentário nós faremos, mas nesse primeiro momento nós vamos priorizar a distribuição de alimentos”, afirmou Dário.
O auxílio emergencial do governo federal foi pago até dezembro e não houve renovação para este ano. Entretanto, com o agravamento da pandemia, um novo modelo foi enviado ao Congresso Federal na quinta-feira (18) e prevê o início das parcelas a partir de abril, mas com valores menores. Veja as regras.
Dificuldade financeira
Dário afirmou que, em 2020, o governo federal repassou R$ 130 milhões à prefeitura especificamente para o tesouro municipal, sem contar os gastos SUS. Para este ano não há previsão de envio de verba.
“A gente tem estudado muito essa questão. Nós temos um problema orçamentário e financeiro. No ano passado, o governo federal encaminhou para Campinas em torno de R$ 300 milhões, R$ 130 milhões [de] ajuda ao próprio tesouro do município e R$ 170 milhões de financiamento para SUS. Esse ano não há previsão de aporte do governo federal para o caixa da prefeitura e nossos gastos com a pandemia, com leitos, têm sido muitos altos”.
Por isso, a prioridade vai ser garantir a distribuição de alimentos e produtos de higiene por meio da campanha de combate à fome, que pretende arrecadar doações para famílias em situação de vulnerabilidade. O prefeito afirma que a prefeitura sentiu o aumento na vulnerabilidade de famílias durante a pandemia.
Moradores ou empresas que queiram fazer doações de cestas básicas podem ligar nos números (19) 3746-1063 (Banco de Alimentos); (19) 3735-5400 e (19) 98455-0377 (Sanasa).
Quando os doadores não puderem ir a algum posto de doação, a prefeitura fará a retirada na casa ou empresa. Nos postos de doação, a entrega será drive-thru.
Em 10 e 11 de abril ocorrerão os “Dias D” da campanha, com doações drive-thru na prefeitura das 9h às 17h.
Veja como colaborar com outras ações solidárias em Campinas
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

Ultimas Notícias

Médica sanitarista e ex-diretora de Saúde de Campinas, Maria Haydée morre aos 69 anos

Defensora da saúde pública, Haydée também atuou como presidente do Conselho Municipal...

Em um dia, Conexão Solidária arrecada 163 toneladas de alimentos nas regiões de Campinas e Piracicaba

Terceira etapa da campanha organizada pela EPTV e prefeituras ocorreu neste sábado. Doações serão destinadas às famílias em...

Operação toque de recolher fecha 12 estabelecimentos e lacra 1 em Campinas nesta sexta

Balanço divulgado neste sábado (17) pela prefeitura mostra que, de 18 de março, data em que as fiscalizações...

Acidente em Valinhos deixa 5 feridos e mobiliza bombeiros de três cidades

Colisão entre dois veículos ocorreu na Estrada dos Jequitibás. Vítimas, dentre elas uma mulher que estaria grávida, foram...

Covid-19: cresce em 27% o número de vacinas em fase final de estudos

A corrida para o desenvolvimento de vacinas contra Covid-19 teve um aumento de 27% em novos antígenos em etapa final de testes — a...
- Advertisement -