domingo, maio 16, 2021

Conheça o inseto que parece pipoca


Ninfa da cigarrinha tem aparência intrigante; parte branca é resultado da produção de uma cera que tem diversas funções. Ninfa de cigarrinha parece uma pipoca.
Kel Silva/Arquivo Pessoal
Como olhar para essa foto e não lembrar de uma pipoca? Se analisar bem de perto, no entanto, percebe-se que um corpo minúsculo está sob a “nuvem” branca. É uma ninfa de cigarrinha.
As cigarrinhas, assim como as cigarras, são insetos da ordem Hemiptera. São animais herbívoros que se alimentam sugando a seiva da planta hospedeira. As cigarrinhas são altamente diversas em termos de cor e tamanho (de 4,5 a 32 mm) e podem ser encontradas mais facilmente nos trópicos. Entre as diversas famílias, a Flatidae inclui pelo menos 299 gêneros e mais de 1445 espécies.
“Essa da foto é uma ninfa da família Flatidae, mas não é possível confirmar a espécie devido à cera. O fato dela ser uma ninfa significa que o animal é ainda uma forma jovem do inseto, que se segue ao estágio de ovo e antecede o estágio adulto”, explica o biólogo Wilson Sampaio de Azevedo Filho, que coordena um núcleo de pesquisa de insetos na Universidade de Caxias do Sul.
O ciclo de vida das cigarrinhas pode variar de 35 a 66 dias, dependendo da espécie.
Quando estão na fase de ninfa se tornam presas ainda mais fáceis para os predadores que podem ser insetos maiores, aranhas, cobras e até aves. No caso da espécie de cigarrinha que parece pipoca a parte branca é resultado da produção de uma cera que tem diversas funções, entre elas proteger contra calor e frio excessivos e esconder o corpo do animal.
“Nas cigarrinhas a cera também tem propriedades hidrofóbicas, ou seja, evita a umidade, o que acaba podendo ajudar na proteção contra predadores e parasitoides. Ela também pode auxiliar na proteção do tegumento e dos ovos em alguns casos”, afirma o professor.
A cera, geralmente, é uma mistura complexa de lipídios ou lipoproteínas.
A cera é produzida em glândulas específicas da epiderme e saem por uma cutícula.
Lucas Fagundes/Arquivo Pessoal
Se você quer encontrar essa pipoquinha da natureza, procure principalmente nas árvores, arbustos e plantas herbáceas. Esses animais ocorrem tanto em matas quanto em locais mais urbanizados. “Mesmo representando um grupo encontrado facilmente, algumas espécies são difíceis de localizar e registrar. Pouco se sabe sobre a importância e ocorrência das espécies de cigarrinhas em áreas de preservação. E, devido à destruição ou descaracterização de alguns habitat, é muito provável que se tenha espécies já ameaçadas de extinção”, comenta Azevedo Filho.
Apesar da maioria das cigarrinhas serem conhecidas como pragas nas pastagens e nas plantações, o pesquisador afirma que não há registros no Brasil de nenhum dano nas culturas e nenhuma transmissão de patógenos causados pelas espécies da família Flatidae.
As cigarrinhas, assim com as cigarras, são insetos da 0rdem Hemiptera;
Kel Silva/Arquivo Pessoal

Ultimas Notícias

Furto de cabos de energia interrompe abastecimento de água em Santo Antônio de Posse

Cabos furtados são da bomba que faz a captação de água no Camanducaia...

Senai de Sumaré oferece dois cursos gratuitos de qualificação profissional para pintores

São 48 vagas e inscrições devem ser feitas on-line; aulas acontecerão presencialmente no mês de junho. O prédio...

Coronavírus: prefeituras da região de Campinas confirmam novos casos neste domingo, 16 de maio

Veja números de pessoas infectadas e de óbitos pela doença em cada cidade. Arte coronavírus Comunicação/Globo As prefeituras da região...

Últimas notícias de coronavírus na região de Campinas em 16 de maio de 2021

Veja a atualização em cada município da área de cobertura do G1. Confira as últimas notícias sobre o...

CPI da Pandemia recebe documentos sobre fraude na Saúde do DF

A CPI da Pandemia no Congresso já começou a receber as primeiras informações sobre fraudes na Secretaria de Saúde do Governo do Distrito Federal....
- Advertisement -