segunda-feira, abril 12, 2021

Covid-19: Campinas anuncia toque de recolher com multa a partir das 20h


Anúncio foi feito pelo prefeito Dário Saadi em coletiva na tarde desta terça-feira (16). Centro de Campinas, na noite de 15 de março de 2021
Alexandre de Jesus / EPTV
Campinas (SP) vai adotar o toque de recolher a partir das 20h, com endurecimento das multas e sanções por descumprimento da determinação a partir de quinta-feira (18). A decisão torna as medidas restritivas no município ainda mais severas que a fase emergencial determinada pelo governo de São Paulo.
O que muda:
Alimentação (padarias, supermercados, lojas de conveniência): devem encerrar as atividades às 20h;
Serviços de drive-thru (para qualquer atividade): encerrar às 20h;
Multa de 800 UFICs (R$ 3,5 mil) para responsáveis por festas clandestinas ou reuniões familiares com mais de 10 pessoas;
Condução do responsável pela organização da festa clandestina ou reunião até a delegacia de Polícia Civil, para registro de termo circunstanciado de ocorrência com base no artigo 268 do Código Penal (descumprimento de medida sanitária);
Lacração imediata e multa de 800 UFICs (R$ 3,5 mil) para estabelecimentos flagrados funcionando em desacordo com as regras do município.
Abordagem de pessoas circulando após às 20h, educativa, com orientação para retorno ao domicílio;
Bloqueios em pontos estratégicos por ação integrada da Guarda Municipal e polícias Militar e Civil;
Uso do sistema de câmeras e leitores de placas para identificar aglomerações de veículos;
Os detalhes da restrição foram anunciados pelo secretário de Justiça, Peter Panutto, que informou que o decreto será publicado nesta quinta (18).
“Estamos avançando um pouco, mas ainda não é um lockdown, que é quando há restrição total na circulação de pessoas, como vimos na Europa. Gostaríamos que não acontecesse, mas temos ainda como apertar o certo. Espero que não aconteça”, destacou Peter.
A metrópole contabiliza 2.041 mortes pela doença e, no boletim desta terça (16), conta com três leitos livres de UTI exclusivos para Covid pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Há mais de 100 pessoas na fila por vagas em UTI ou leitos de enfermaria para tratamento da doença.
O anúncio de novas medidas restritivas ocorre horas depois de o prefeito de Campinas propor que as cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) adotem medidas ainda mais restritivas, como um lockdown, para conter o avanço de mortes, internações e casos de Covid-19.
Leia mais: lockdown é medida extrema, mas de efetividade comprovada, dizem entidades
Segundo a prefeitura de Campinas, a maioria dos prefeitos aceitou discutir a possibilidade, mas optou por avaliar por mais dois dias os efeitos da atual fase emergencial do Plano São Paulo, os dados epidemiológicos e os índices de isolamento.
Uma nova reunião foi marcada para sexta-feira (19) com possibilidade de um encontro extraordinário antes disso, destaca a administração.
Reportagem em atualização
1 ano da pandemia de Covid em Campinas: veja fatos que marcaram
Fase emergencial
Campinas está sob o decreto municipal da fase emergencial até o dia 30 de março. A cidade tem enfrentado falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e também de enfermaria para tratamento da Covid-19.
Fase emergencial: veja como ficam as aulas na região de Campinas
Apesar dos esforços da prefeitura em ampliar as vagas, todas têm sido rapidamente preenchidas, especialmente pelo público mais jovem, que antes era menos afetado com sintomas graves do coronavírus.
O que pode e o que não pode funcionar na fase emergencial:
Bares, restaurantes, comércios e prestadores de serviço podem comercializar produtos via delivery ou drive-thru, sendo proibido o atendimento do cliente fora do carro ou dentro dos estabelecimentos.
Supermercados, padarias e comércio de gêneros alimentícios devem ter rigoroso controle de distanciamento entre as pessoas e de aglomerações na entrada.
Estabelecimentos de venda de alimentos localizados no interior de postos de combustíveis também só podem atender por delivery ou drirve-thru.
A Administração Municipal, direta e indireta, priorizará o teletrabalho, mantendo o trabalho presencial estritamente necessário para funcionamento do serviço público e atendimento ao público quando inadiável.
Fica permitida a abertura de igrejas, templos e outros locais de culto estritamente para a prática de rito individual.
Fica proibida a realização de feiras noturnas, bem como feiras de artesanato e culturais. Mas as feiras de hortifruti e gêneros alimentícios continuam permitidas.
Ficam suspensas as autorizações de retomada das atividades escolares presenciais nas redes estadual e particular durante a permanência do município na fase vermelha ou outra mais severa.
PLAYLIST: Veja mais assuntos de destaque na região de Campinas
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

Ultimas Notícias

Em 100 dias, rede municipal atende o equivalente a 11% da população de Campinas com suspeita de Covid-19

Percentual representa cerca de 133 mil pessoas que procuraram consulta médica em UBSs,...

Campinas abre agendamento da vacinação contra Covid-19 para maiores de 67 anos

Cadastro deve ser feito no site, onde será informado horário e local de aplicação. Cidade conta com cinco...

Banco de leite da Maternidade em Campinas atinge nível mais crítico da pandemia; veja como doar

Hospital tem estoque de 139 litros, volume 30,5% inferior aos 200 indicados como mínimo ideal, e reivindica doações....

Último pracinha de Campinas morre aos 101 anos: 'Legado de exemplo e dedicação à família'

Ex-combatente Justino Alfredo esteve em batalhas contra soldados nazistas na Itália durante a 2ª Guerra Mundial. Veterano enfrentava...

Em 100 dias à frente de Campinas, Dário entrega parte das ações, destaca combate à pandemia e defende lei de comissionados

Em janeiro, prefeito havia traçado plano de 72 metas, mas algumas não saíram do papel - como...
- Advertisement -