sexta-feira, setembro 18, 2020

Fiocruz lança projeto de combate à covid-19 em comunidades do Rio

São Paulo

Incêndio atinge apartamento no Centro de SP

Incêndio atinge apartamento em edifício no centro de São Paulo Um incêndio atinge um apartamento na região central de São...

Araçatuba confirma mais quatro mortes causadas pela Covid-19

Araçatuba (SP) confirmou mais 44 casos positivos de coronavírus e quatro novas mortes causadas pela Covid-19. Com as atualizações feitas...

Mortes confirmadas por Covid-19 nas regiões de Bauru e Marília nesta sexta-feira, 17 de julho

Cidades do centro-oeste paulista anunciaram novas mortes por Covid-19 nesta sexta-feira (17). A região contabiliza 294 óbitos em 57...

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou hoje (19) o Conexão saúde: de olho na covid, projeto que vai contribuir para o enfrentamento da pandemia de covid-19 no Complexo da Maré e em Manguinhos, comunidades na zona norte da cidade do Rio de Janeiro.

A iniciativa conta com o apoio da gestão municipal, por meio das unidades de saúde, e inclui desde a orientação e o apoio à população local, até a telemedicina, a testagem molecular, o rastreamento de quem teve contato com alguém infectado pelo novo coronavírus e a produção de mapas de risco dentro das comunidades.

Além do processamento das amostras dos testes RT-PCR, a Fiocruz atuará na coordenação do projeto e será responsável pela capacitação dos profissionais envolvidos, logística das etapas, doação de insumos para coleta e transporte das amostras para seus laboratórios.

O projeto é uma parceria da Fiocruz com as associações Redes da Maré e Conselho Comunitário de Manguinhos, o aplicativo Dados do Bem, o SAS Brasil e o União Rio, movimento da sociedade civil que uniu pessoas e organizações para tentar reduzir os impactos da covid-19 no Rio de Janeiro.

Segundo o coordenador do projeto pela Fiocruz, Valcler Rangel, a ideia é ampliar o acesso dos moradores das duas favelas aos serviços de saúde durante o período de pandemia, oferecendo uma cadeia completa de atendimento, desde a possibilidade de um diagnóstico precoce da doença e acompanhamento clínico até a realização de testes de diagnóstico do novo coronavírus e o rastreamento de contactantes.

“Queremos promover o isolamento seguro, monitorar via telemedicina de maneira articulada com as equipes de saúde da família e internar o paciente quando for necessário”, disse Rangel. “Os dados mostram uma periferização da doença ao longo do tempo. As maiores taxas de mortalidade estão concentradas nas favelas. A população negra tem o maior percentual de óbitos”.

De acordo com Rangel, uma segunda etapa do projeto prevê que ele possa ser replicado em outras favelas e periferias como um modelo de intervenção para emergências em saúde pública já testado em nível local.

Durante o lançamento virtual do projeto, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, destacou a importância da parceria das instituições públicas com a iniciativa privada de forma articulada com as lideranças comunitárias. “A articulação da sociedade civil voltada para soluções não pode prescindir de uma construção coletiva”.

O médico Drauzio Varella ressaltou ser fundamental o trabalho prévio da Fiocruz com as duas comunidades de cerca de 180 mil pessoas para que a iniciativa possa trazer bons resultados e ser replicada em outras localidades do país.

Para a pneumologista e pesquisadora da Fiocruz Margareth Dalcolmo, o projeto traz o reconhecimento do papel primordial das lideranças comunitárias para o acesso às comunidades. “São as legítimas representantes das pessoas e dos problemas que são mais prevalentes nessas comunidades”.

A representante do Conselho Comunitário de Manguinhos, Patricia Evangelista, lembrou que a emergência sanitária evidenciou as desigualdades vividas nas favelas como a falta de saneamento básico, de água, e de habitações adequadas. “A população mais vulnerável só tem acesso ao sistema público de saúde que já estava precário antes da pandemia, o que dificulta e coloca mais em risco a vida das pessoas”.

O Conexão saúde: de olho na covid recebeu cerca de R$ 1,6 milhão do Todos pela Saúde, iniciativa liderada pelo Itaú Unibanco que tem financiado uma série de ações para o enfrentamento da pandemia.

Com informação: Agência Brasil

- Advertisement -

Ultimas Notícias

Campinas confirma mais 12 óbitos por coronavírus e chega a 1.175; total de casos sobe para 31.390

Prefeitura confirmou novos dados da doença nesta sexta-feira. Índice de pessoas infectadas teve alta de 213...

Escalada ajuda na conservação do urubu-rei no Sul de São Paulo

Floresta Nacional de Ipanema atrai amantes da natureza que unem esporte à prática da observação de aves. Urubu-rei está na...

Aventura no rio Araguaia vai atrás da piraíba

Primeira parte da aventura mostra por quê peixe é o sonho de muitos pescadores esportivos; tambaqui dá o "start" nas fisgadas...

Coronavírus: com mais 20 casos, Hortolândia chega a 3.743 infectados

Número de mortes no município permanece em 131. Cidade tem ainda 469 casos suspeitos da Covid-19, enquanto outras 3.659 notificações foram...

Últimas notícias de coronavírus na região de Campinas em 18 de setembro

Veja atualização em cada município da área de cobertura do G1. Confira as últimas notícias sobre o coronavírus na região Hellen Souza/...

Veja mais

- Advertisement -