segunda-feira, março 8, 2021

Bruno Covas é reeleito prefeito de São Paulo

SÃO PAULO – Bruno Covas (PSDB) foi reeleito, neste domingo (29), prefeito de São Paulo para mais quatro anos de mandato (2021-2024). Com a totalidade das urnas apuradas, o tucano conquistou 3.169.121 votos – o equivalente a 59,38% dos votos válidos (ou seja, excluindo votos em branco e nulos).

Neste segundo turno, Covas derrotou o opositor Guilherme Boulos (PSOL), que recebeu 2.168.109 votos – 40,62% dos votos válidos. O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) foi uma das grandes surpresas destas eleições, desbancando adversários mais conhecidos do eleitorado paulistano e com mais tempo de televisão e estrutura partidária.

Covas contou com uma ampla coligação formada por 11 siglas (PSDB, PP, MDB, Podemos, PSC, PL, Cidadania, DEM, PTC, PV e Pros), em um movimento que envolveu costuras nacionais.

Neste segundo turno, ele recebeu ainda o endosso de PSD, que concorreu com Andrea Matarazzo no primeiro turno; do Republicanos, de Celso Russomanno; do PSL, de Joice Hasselmann; e do Solidariedade, que integrou a coligação de Márcio França (PSB).

A disputa em São Paulo era vista como um laboratório para a construção de uma candidatura de “centro” para as eleições presidenciais de 2022. E para os tucanos, que têm o nome do governador João Doria como provável candidato, manter o controle da cidade é fundamental. Já na esquerda, o pleito deu mais força ao nome de Boulos, que agora passa a ser visto como nova liderança no grupo.

No discurso de vitória, Covas afirmou que ele mesmo é “fruto da democracia” e que “é possível fazer política sem ódio”. “As urnas falaram e a democracia está viva. São Paulo mostra que faltam poucos dias para o obscurantismo e negacionismo. São Paulo disse sim a ciência e disse sim à moderação”, afirmou ao lado do governador João Doria, no diretório estadual do PSDB.

O tucano disse que sua reeleição traz o desafio de “transformar a esperança em realidade”, longe de divisões, e lembrou seu avô ao afirmar ser possível “conciliar política e ética, política e honra, política e mudança”. “Agora, acrescento, é possível fazer política sem ódio, fazer política falando a verdade”.

Em um aceno aos eleitores de Boulos, o prefeito reeleito disse que vai “governar para todos”. “A partir de amanhã não existe distrito azul e vermelho, existe a cidade de São Paulo”, disse, em tom similar ao usado pelo presidente eleito nos Estados Unidos, Joe Biden, em seu discurso de vitória. O tucano venceu em 50 das 58 zonas eleitorais da cidade.

Covas também deu destaque ao seu vice, Ricardo Nunes (MDB) – um dos principais alvos em sua candidatura, apontado em denúncia de violência doméstica em 2011 e por participar de operações consideradas suspeitas envolvendo convênios com creches. “Queria fazer uma homenagem e agradecimento especial ao meu vice Ricardo Nunes, que sofreu muito durante essa campanha. Esteja certo, Ricardo, que partir de 1ºde janeiro vamos governar e mostrar para São Paulo quem nós somos e qual é a nossa visão de mundo”, disse.

Mais cedo, ao votar neste domingo, Covas prometeu cumprir os quatro anos de mandato. “Quero ser reeleito para entregar o cargo no dia 1º de janeiro de 2025”, disse. O tucano, vice de João Doria, assumiu a prefeitura quando o titular deixou o cargo para disputar o governo estadual. O movimento incomodou os paulistanos, e Doria, apesar de vencer a disputa, foi derrotado na capital por seu adversário, o então governador Márcio França (PSB).

Durante a campanha, Covas conseguiu melhorar sua avaliação junto ao eleitorado. Segundo o Datafolha, o grupo de paulistanos que classificam o trabalho do atual prefeito como ótimo ou bom saiu de 25% (21 e 22/09) para 35% (23/11). Já as avaliações negativas caíram de 27% para 21% no período.

O tucano explorou a imagem de gestor público experimentado e a necessidade de uma postura de equilíbrio para lidar com os desafios impostos pela conjuntura de pandemia do novo coronavírus. Com isso, também buscou fazer contraste com a falta de experiência de Boulos, a quem trabalhou para consolidar uma imagem de radical.

Os desafios de Covas nesta candidatura foram muito além da própria gestão da crise sanitária que o tornou mais conhecido para boa parte dos eleitores. Em outubro do ano passado, ele foi diagnosticado com câncer na cárdia, localizado na transição entre o estômago e o esôfago – o que levou muitos médicos duvidarem que seria capaz de concorrer à eleição. O quadro do prefeito melhorou, embora ainda esteja em tratamento imunoterápico sem previsão de término.

The post Bruno Covas é reeleito prefeito de São Paulo appeared first on InfoMoney.

Ultimas Notícias

Covid-19: Edson, da dupla com Hudson, é transferido para UTI em SP

Sertanejo estava internado em leito clínico de hospital em Indaiatuba, mas teve uma...

Covid-19: municípios da região de Campinas pedem ajuda a vizinhos para evitar colapso na saúde

Com UTIs lotadas e escalada de casos, cidades enfrentam pressão nos hospitais, falta de respiradores e aumento no...

Covid-19: cidade de São Paulo chega a 1 milhão de vacinas aplicadas

A prefeitura da cidade de São Paulo, a maior capital do país em número de habitantes, projetou que chegará ao primeiro milhão de doses...

Nº de municípios interessados em consórcio por vacina cresce 27%; são 2.172 adesões, diz FNP

Frente Nacional de Prefeitos havia divulgado lista final na sexta (5), com 1.703 inscrições, mas total de prefeitos...

Indaiatuba fecha creche por 14 dias após três monitoras testarem positivo para Covid-19

Prefeitura informou que medida tem como objetivo evitar um surto na unidade, já que profissionais atendem mais de...
- Advertisement -