domingo, fevereiro 28, 2021

Anvisa libera compra de 6 milhões de doses da vacina chinesa CoronaVac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, na tarde desta sexta-feira, 23, a importação de 6 milhões de doses da vacina chinesa contra a Covid-19 CoronaVac, criada pelo laboratório Sinovac. A compra será feita no âmbito do programa de imunização da doença desenvolvido pelo Instituto Butantan, em São Paulo. A licença, por enquanto, é apenas para importação. A distribuição do imunizante depende ainda da autorização da Anvisa ao final dos testes. A expectativa é que, até o fim do ano, o instituto consiga produzir outras 40 milhões de doses — sendo essas 6 milhões primeiras 100% produzidas na China. O restante será produzido a partir do princípio ativo importado. A informação já foi repassada para as autoridades do estado de São Paulo, inclusive ao governador João Doria.

A vacina chinesa tem sido alvo de uma polêmica por conta da intenção do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, de utilizá-la como a principal do programa de imunização do governo federal. O presidente Jair Bolsonaro, pressionado por aliados, desautorizou o ministro.

Também nesta sexta, a Anvisa afirmou, por meio de nota que “não há nenhum tipo de retardo, atraso ou morosidade” diante do pedido do Instituto Butantan. A Anvisa está colocando o pedido de importação de vacinas já envasadas do Instituto Butantan sob análise da ferramenta eletrônica formal, chamada circuito deliberativo, na qual os diretores podem analisar o processo e efetuar a votação sem a necessidade das formalidades de uma reunião presencial e pública da Diretoria Colegiada”, dizia o documento encaminhado à imprensa.

A Anvisa enviou uma nota ao Radar Econômico. Leia na íntegra

A Anvisa autorizou nesta sexta-feira (23/10) a importação de 6 milhões de doses da Vacina Adsorvida Covid-19 (inativa), fabricada por Sinovac Life Sciences Co. LTD. A solicitação foi feita pelo Instituto Butantã para importação, em caráter excepcional, de vacina adsorvida covid-19 (inativa), em estudo clínico fase III, ainda sem registro no Brasil. O tema foi discutido em Circuito Deliberativo, entre esta quinta e sexta-feira (22-23/10). O Circuito Deliberativo é uma instância de votação online dos diretores da Agência. A autorização contempla o regramento de importação.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Emdec bloqueia trecho da Rua Barão de Jaguara, em Campinas, nesta segunda; veja desvios

Interdição ocorre entre as vias Conceição e Dr. César Bierrembach, das 8h30 às...

Violência psicológica é a mais comum entre mulheres de Campinas durante pandemia de Covid-19, diz TJ-SP

Canal online registrou relatos de vítimas de violência doméstica de abril de 2020 a fevereiro deste ano. Vítima...

Câmeras de segurança registram ação de suspeitos durante furto a loja de informática em Itapira

Ação da dupla causou um prejuízo de R$ 6 mil, segundo a proprietária. Ninguém foi preso. Ladrões invadem...

Vizinhança se mobiliza para ajudar moradores do Jardim Samambaia após chuva forte em Campinas

Pelo menos 18 famílias ficaram desabrigados após a chuva que atingiu a cidade na sexta-feira (26), segundo a...

Covid-19: família de idoso registra boletim de ocorrência após falha durante vacinação em Vinhedo

Moradora relatou que enfermeira inseriu seringa vazia no braço do homem. Profissional de saúde foi ouvida na delegacia...
- Advertisement -