terça-feira, março 9, 2021

Brincadeira popular entre famílias no Natal será o coronavírus-oculto

Boa parte das famílias brasileiras optou por uma noite de Natal virtual. A lista de vantagens não é pequena. Ninguém vai brigar pelas coxas do peru nem pelos poucos fios de ovos. Dá pra “mutar” a tia chata que pergunta se os jovens estão de namorado novo e as piadas do tio do pavê. E quem quiser pode deixar uma foto no Zoom e ir dormir ou beber sozinho.

Já as famílias que resolveram fazer uma grande ceia substituíram o tradicional ami­go-oculto por outra brincadeira: descobrir qual parente tem o coronavírus-oculto. Não vale enfiar cotonete no cérebro, porque o exame demora. Nem medir a febre. Até porque sempre tem aquele primo que acha que o termômetro afeta sua glândula pineal e altera seu DNA.

Publicado em VEJA de 30 de dezembro de 2020, edição nº 2719

Ultimas Notícias

GM de Campinas recebe 400 chamados de desrespeito à fase vermelha no fim de semana

Ação conjunta dos órgãos de fiscalização autuou nove comércios por descumprir medidas sanitárias....

Covid-19: Edson, da dupla com Hudson, é transferido para UTI em SP

Sertanejo estava internado em leito clínico de hospital em Indaiatuba, mas teve uma piora do quadro clínico e...

Covid-19: municípios da região de Campinas pedem ajuda a vizinhos para evitar colapso na saúde

Com UTIs lotadas e escalada de casos, cidades enfrentam pressão nos hospitais, falta de respiradores e aumento no...

Covid-19: cidade de São Paulo chega a 1 milhão de vacinas aplicadas

A prefeitura da cidade de São Paulo, a maior capital do país em número de habitantes, projetou que chegará ao primeiro milhão de doses...

Nº de municípios interessados em consórcio por vacina cresce 27%; são 2.172 adesões, diz FNP

Frente Nacional de Prefeitos havia divulgado lista final na sexta (5), com 1.703 inscrições, mas total de prefeitos...
- Advertisement -