sábado, junho 12, 2021

Centro de oncologia do Albert Einstein é eleito o melhor da América Latina

Todos os anos, a revista americana Newsweek, em parceria com a empresa global de pesquisa de mercado Statisa, elege os melhores hospitais em geral e os melhores hospitais especializados do mundo. Em 2021, o Centro de Oncologia e Hematologia Einstein Família Dayan – Daycoval, do Hospital Albert Einstein, ficou em primeiro lugar entre os hospitais da América Latina e em 21º lugar no ranking mundial de melhores hospitais oncológicos.

“Essa é uma das mais respeitadas classificações existentes hoje em termos de avaliação de serviços hospitalares e a posição do nosso hospital é única e muito meritosa. Não só na classificação na América Latina, em outros quesitos ficamos à frente de centros tradicionalíssimos, como o Massachusetts General Hospital, em Boston, que pertence ao complexo de Harvard, dentre outros centros americanos e europeus muito respeitados”, diz a VEJA o oncologista Fernando Maluf, um dos mais respeitados no Brasil, membro do comitê gestor do centro oncológico do Einstein e fundador do Instituto Vencer o Câncer.

Os diferenciais por trás dessa classificação incluem um corpo clínico bem selecionado – cerca de 80% a 90% dos profissionais foram formados nos melhores centros europeus e americanos; atendimento integrado – todos os novos casos são discutidos em reuniões com especialistas de áreas distintas, incluindo cirurgia, oncologia clínica e radioterapia; padronização das formas de tratamento; investimento em medicina de precisão e terapia celular; pesquisa clínica com certificação internacional; ensino – por meio da participação e organização de congressos e eventos médicos, a faculdade de medicina e publicações científicas; estrutura hospitalar impecável e vasta experiência em tratamentos minimamente invasivos inovadores, incluindo cirurgia robótica.

O Centro de Oncologia do Einstein existe desde 2013 e foi construído com base em uma consultoria de uma década do MD Anderson Cancer Center, nos Estados Unidos, eleito o melhor hospital oncológico do mundo. A parceria, oficializada em 2012, previa a transferência de todo o conhecimento no tratamento oncológico da instituição americana, com enfoque em atendimento ao paciente, pesquisa, educação e prevenção.

Outros aspectos que refletem a boa classificação do hospital brasileiro, segundo o diretor médico do centro de oncologia e hematologia Einstein, o cirurgião Sergio Araujo, são as terapias de suporte durante o tratamento e os cuidados paliativos, para proporcionar uma melhor qualidade de vida quando a cura não é mais possível. “Em concomitância ao tratamento anticâncer, há a necessidade de realizar outros tratamentos, como avaliação psicológica, nutricional, física, odontológica. Essas áreas se agrupam sob o guarda chuva das terapias de suporte e ocorrem paralelamente ao tratamento oncológico. Deixar de cuidar dessa integralidade do paciente leva a piores resultados oncológicos e essas terapias têm um nível de excelência muito alto aqui no Einstein”, afirma Araujo.

Outros centros de referência brasileiros também integraram a lista, como o Hospital Sírio Libanês, classificado na 28ª posição entre os melhores hospitais oncológicos do mundo, o A.C. Camargo Câncer Center (30º lugar) e a BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Outras classificações

O Einstein também se destacou na lista dos melhores hospitais de outras especialidades. O departamento de cardiologia ficou em primeiro lugar entre os hospitais privados da região, nas áreas de gastroenterologia e ortopedia, o hospital obteve a primeira colocação na América Latina e ficou entre as 100 melhores do mundo nas áreas de neurologia​​ e endocrinologia.

No ranking geral, ficou em 36º lugar. Na pesquisa feita em 21 países, foi o único da América Latina a ser mencionado entre os 50 primeiros. “Com essa classificação, nós ultrapassamos fronteiras, porque esse reconhecimento está sendo feito pela comunidade médica internacional.”, comemora Sidney Klajner, presidente do Albert Einstein.

O hospital tem parcerias com 27 unidades de saúde SUS, entre elas dois hospitais: o Hospital Municipal M´Boi Mirim e o Hospital Municipal Vila Santa Catarina, ambos em São Paulo. “A pandemia acabou representando uma oportunidade da execução da nossa missão em responsabilidade social e retorno à sociedade quando a crise é sanitária”, diz Klajner.

O ranking Os melhores hospitais do mundo avalia hospitais de 21 países, em quatro continentes. Além do Brasil, participam da seleção: Estados Unidos, Canadá, Alemanha, França, Reino Unido, Itália, Espanha, Suíça, Holanda, Suécia, Dinamarca, Noruega, Finlândia, Israel, Coreia do Sul, Japão, Cingapura, Índia, Tailândia e Austrália. Os parâmetros avaliados incluem recomendações de profissionais de saúde, resultados de pesquisas com pacientes e indicadores-chave de desempenho médico.

 

Ultimas Notícias

Dia dos Namorados: Campinas tem movimentação intensa no comércio e restaurantes esperam alta de 50%

Manhã de sábado foi de alta circulação de consumidores pelas ruas do Centro....

Polícia prende homem com carro de luxo roubado em Campinas

Suspeito foi avistado durante patrulhamento no bairro Jardim Novo Campos Elíseos, nesta sexta-feira (11). Veículo roubado foi recuperado...

Coronavírus: prefeituras da região de Campinas confirmam novos casos neste sábado, 12 de junho

Veja números de pessoas infectadas e de óbitos pela doença em cada cidade. Testagem Covid-19 Divulgação As prefeituras da região...

Últimas notícias de coronavírus na região de Campinas em 12 de junho de 2021

Veja a atualização em cada município da área de cobertura do G1. Confira as últimas notícias sobre o...

Base Estelar de Campinas faz convenção de ficção científica neste sábado

Grupo de fãs do gênero, em parceria com a prefeitura, transmite o evento a partir das 14h no...
- Advertisement -