sábado, junho 12, 2021

Em se plantando, tudo dá

Café é coisa nossa? E manga? E batata, alface, são coisa nossa? Esses e outros produtos são tão populares no nosso dia-a-dia que os consideramos brasileiros de origem. Eles são nacionais legítimos, sim, mas por adoção. Trazidos para cá há séculos, se adaptaram tão bem que temos a impressão de que estiveram sempre por aqui.

Embora nada tenha mais a cara do Brasil do que o café, na sua certidão de nascimento consta a Etiópia como local de nascimento. Segundo a lenda, um pastor do país africano, tendo alimentado suas cabras com certo fruto avermelhado, percebeu que o rebanho se tornou mais animado e inquieto. Assim teria sido descoberto o conhecido poder estimulante da cafeína. O nome “café”, aliás, faz referência a essa propriedade. No Iêmen, no Oriente Médio, onde o fruto primeiro se popularizou, a bebida era chamada de Kahwah ou Cahue, que significa “força” em árabe. O termo foi aportuguesado no século VIII, quando aportou por aqui.

E as brasileiríssimas alface e batata? A folha mais comum das nossas saladas também é estrangeira. Ela vem do leste do Mediterrâneo, e também foi importada pelos colonizadores. Há registros de mais de 4 mil anos indicando que os egípcios já consumiam essa hortaliça no tempo dos faraós. Quanto à batata, é natural da região onde hoje fica o Chile. Populações indígenas instaladas ao longo da Cordilheira dos Andes consomem o tubérculo há mais de 8 mil anos. Os colonizadores espanhóis levaram a batata para a Europa, onde ela se tornou base de incontáveis pratos populares. Fácil de ser cultivada, ganhou o mundo. Por aqui, fez tanto sucesso que rivalizou com a mandioca – essa, sim, brasileira “avant la lettre”.

Uma fruta que esconde muito bem a procedência é a manga. A cor, o aroma, a exuberância, a suculência, a doçura, a tropicalidade, tudo na manga remete ao melhor do Brasil. E no entanto a “nossa” manga não é nossa – é asiática, mais especificamente do sudeste daquela região tão remota. A fruta é até um símbolo nacional da Índia, com direito a poemas e canções de mais de mil anos que lhe prestam homenagens. Para variar, chegou a portos pátrios a bordo das caravelas dos portugueses.

Se quisermos algo genuinamente brasileiro, então temos que olhar para a floresta. A jabuticaba, por exemplo, é nativa da Mata Atlântica. É tão brasileira que virou metáfora para algo típico do país, em geral algo negativo – o que é uma injustiça para com a fruta. Menos conhecido é o cambuci, originário do mesmo ecossistema. A fruta já teve seus quinze minutos de fama, quando emprestou seu nome a um tradicional bairro paulistano. Mais tarde, voltou a ganhar destaque, mas pelo motivo errado – porque esteve ameaçada de extinção, devido à exploração comercial da madeira da sua árvore. Para sorte da nossa culinária, o cambuci – nome indígena que designa que o pote de cerâmica ao qual a fruta de assemelha – sobreviveu, e tem sido encontrado por aí, sobretudo em geleias, mousses e bolos.

A história do café, da batata, da alface, da manga – e até da jabuticaba e do cambuci – mostra que Pero Vaz de Caminha tinha razão quando, logo que aqui chegou, em 1500, escreveu ao rei dom Manuel cunhando a expressão de que no Brasil “em se plantando, tudo dá”.

Parabéns ao agro pelo papel decisivo na construção desta marca que nos orgulha, a todos os brasileiros.

Ultimas Notícias

Base Estelar de Campinas faz convenção de ficção científica neste sábado

Grupo de fãs do gênero, em parceria com a prefeitura, transmite o evento...

Incêndio destrói parte de supermercado em Paulínia

Fogo começou em um galpão e se espalhou por toda a unidade da Rede Pague Menos. Ninguém ficou...

Campinas faz 3º Dia D de vacinação contra Covid-19 com previsão de imunizar 26,8 mil pessoas

Agendamento foi aberto na segunda-feira e não há mais vagas disponíveis. Aplicação das doses será feita nos Centros...

Amigos fazem poesias e ilustrações para homenagear as aves do Brasil

No Dia dos Namorados, uma história de declaração de amor à natureza. Confira a história do projeto de...

Queiroga diz que 160 milhões serão vacinados até dezembro no Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta sexta-feira, 11, em São Paulo, que 160 milhões de brasileiros serão vacinados contra a Covid-19 até...
- Advertisement -