segunda-feira, março 8, 2021

Movimento antivacina cresce no Brasil, mas diminuirá em breve

O medo de se tornar um jacaré ou de receber um chip 5G dentro do corpo está provocando um considerável aumento do movimento antivacina no Brasil. “O paradoxo desse aumento é que, sem se vacinar, o grupo antivax tende a perder membros para a doença. O que seria até bom se não levassem com eles pessoas que querem mas não podem se vacinar”, declarou o epidemiologista Charlesdarvinson dos Santos.

Filhos já pedem na Justiça o direito de usar zarabatanas para vacinar os pais que ficaram contra a vacina por causa de correntes do WhatsApp.

Por outro lado, a inércia do Ministério da Saúde em relação ao programa nacional de imunização está incomodando até quem é contra a vacina: “Se não tem vacinação pública, como vou ser contra a vacina? Esse país é uma bagunça”, declarou um cidadão de bem do movimento antivacina.

Publicado em VEJA de 13 de janeiro de 2021, edição nº 2720

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Campinas tem 300 leitos ocupados e registra maior nº de internados em UTIs Covid em seis meses

Cidade atingiu a marca pela última vez em 17 de agosto de 2020,...

Covid-19: Campinas registra mais 17 mortes e vai a 1.944; casos positivos chegam em 72 mil

Vítimas são nove homens e oito mulheres, segundo dados divulgados nesta segunda (8) pela prefeitura. Boletim indica mais...

Canário ‘ocupa’ ninho de japu exposto em museu de educação ambiental de Arceburgo (MG)

Fotos e vídeos mostraram toda a ação da ave que criou filhotes no local; espaço estava fechado para...

Covid-19: lar de idosos de Águas de Lindoia chega a 5 mortes e 29 casos

Quinto óbito foi registrado na última quinta-feira (4). Unidade de longa permanência abriga 92 idosos. Os 33...

Vídeo: Homem maltrata cavalo com chutes e socos em Campinas

Cena foi flagrada por uma câmera de vigilância no Parque Cidade; segundo moradores, não seria a primeira vez...
- Advertisement -