terça-feira, março 2, 2021

Novo lote indiano da vacina de Oxford virá com apenas 2 milhões de doses

A Fiocruz está fechando a compra de mais um lote da vacina de Oxford fabricada na Índia, mostram documentos da Fundação. Contudo, o volume está bem abaixo do que era esperado: 2 milhões de doses. A AstraZeneca havia ofertado 10 milhões de doses para serem entregues até o fim de março, sendo que o envio seria dividido em dois lotes, segundo documentos da Fiocruz. No primeiro, imaginava-se que viriam 5 milhões de doses.

Em uma nota técnica, a Fiocruz explica que não está comprando mais doses porque não há disponibilidade por parte do Instituto Serum, o fabricante indiano. A fundação não diz quando as outras 8 milhões de doses restantes serão enviadas.

Serão pagos 10,5 milhões de dólares pelas doses, mais 300 mil dólares pelo frete e pelo seguro. A taxa de câmbio foi fechada nesta quinta-feira, 11, a 5,51 reais por dólar. Assim, a Fiocruz vai pagar um total de 59,51 milhões de reais.

Leia abaixo o trecho do documento onde a Fiocruz detalha a aquisição e o motivo pelo qual não conseguiu importar um volume maior:

Em vista do cenário atual e, com esteio na Medida Provisória nº 1026/21, a Presidência da Fiocruz enviou o Ofício No 116/2021/PRESIDÊNCIA/FIOCRUZ de 09/02/2021 à  Diretoria de Bio-Manguinhos, noticiando  o Termo Aditivo à Proposta nº 733781/21-001 e respectiva publicação do Termo de Execução Descentralizada nº 1/2021 (25386.000005/2021-19), para a aquisição de 10 milhões de doses de vacinas junto ao Serum Instute of India, além de solicitar a imediata abertura de processo administrativo para a importação das mesmas.

Neste ponto, cabe esclarecer que, no momento, estão sendo adquiridas apenas 2 milhões de doses de vacinas prontas, em virtude de este ser o quantitativo com disponibilidade de entrega imediata pelo Serum Instute of India.

Cumpre destacar que a compra de 2 milhões de vacinas já prontas representa o esforço da Fiocruz em antecipar ao máximo a disponibilidade da vacina ao Programa Nacional de Imunização/PNI, tendo em vista o quadro sanitário do país e a necessidade imperativa de enfrentamento à pandemia.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Bolsonaro veta prazo de cinco dias para Anvisa aprovar vacinas

O presidente Jair Bolsonaro vetou nesta segunda-feira, 1º, para adequação à constitucionalidade e ao interesse público, o dispositivo que...

JBS abre 160 vagas para recém-formados em 38 cidades; veja lista

Relação de municípios inclui Amparo (SP), Jaguariúna (SP), Nova Veneza (SC), Brasília (DF) e Itapiringa (SC). Oportunidades são...

Hospital Sobrapar registra maior fila de espera por cirurgias de crânio e face em quatro décadas

Unidade sofre sobrecarga por conta da pandemia, já que outros centros estão dedicados ao enfrentamento da Covid-19; além...

Reclamações para Sanasa crescem 93,4% e valor da conta é principal motivo, diz levantamento

Em um ano, total de queixas recebidas por empresa responsável pelos serviços de água e saneamento em Campinas...

Participação e informação para evitar o colapso

A atual situação do Brasil na pandemia de Covid-19 em termos de contágio, mortes e saturação dos sistemas de saúde (público e privado) já...
- Advertisement -