quarta-feira, fevereiro 24, 2021

O Brasil pós-Covid depende da atenção às crianças hoje

Desde o início desta pandemia, tem chamado atenção o fato de que as crianças não têm tido grande expressão clínica. As respostas imunológicas delas parecem capazes de eliminar o vírus antes que este se replique consideravelmente. Mas, do ponto de vista do legado que a pandemia deixará sobre nossa sociedade, é sobre as crianças que recairá o maior ônus. É a elas, afinal, que sempre remetemos a responsabilidade pelo futuro da nação. Se é assim, o que temos nós, adultos de hoje, feito para que os adultos de amanhã assumam o protagonismo no país? Que Brasil elas herdarão da nossa geração?

Na área da educação, a pandemia da Covid-19 teve um impacto negativo profundo. O mesmo se pode dizer do desenvolvimento social e do bem-estar emocional de crianças e adolescentes. É importante, então, coletar dados sobre a segurança e sobre resposta imune também nessas faixas etárias, para que elas possam se beneficiar no futuro.

Os grandes avanços de saúde no nosso país e em outros foram fruto de medidas sanitárias consistentes – entre as quais incluímos a vacinação, como ponto de referência. Tradicionalmente o Brasil se posiciona bem no quesito vacinação – e o que mais queremos é que as diferentes frentes colaborem para termos uma população infantil saudável e com alta capacidade de aprendizado. Não será, no entanto, em um cenário de escolas fechadas que teremos isso: o prejuízo deixado estará não só da dinâmica do aprendizado técnico, mas com alto custo na dinâmica relacional.

Partimos, portanto, de um cenário no qual a doença afeta pouco a população infantil – mas isso não exclui a responsabilidade por conhecer não só qual a utilidade de uma vacina também para essa faixa etária, mas também quais desdobramentos ocorrerão na dinâmica comportamental daqueles que consideramos o futuro do nosso Brasil. O presente vírus, por exemplo, tem sido questionado sobre a sua capacidade de mutação, e também é preciso saber se o perfil de resposta característico da população infantil ficará tal como é hoje para sempre. A Universidade de Oxford anunciou no último dia 13 que começará os estudos de fase 2 da vacina ChAdOx1 nCoV-19 em crianças e adolescentes – será o primeiro estudo do imunizante nesta população. Temos nessa iniciativa boa medicina e boa ciência convergindo para o entendimento pleno das bases do comportamento biológico nas diferentes fases que vão da prevenção à reabilitação passando pela terapêutica. Isso certamente será um benefício que chegará às gerações futuras dos brasileiros.

Nesta semana também registramos o dia internacional na luta contra o câncer na infância. O câncer vem ganhando grande espaço em razão dos novos recursos terapêuticos. Mas trata-se de uma doença que acarreta importantes desdobramentos nas vidas do paciente e de sua família. Gera angústia, sofrimento e, no limite, desespero. A cada três minutos uma criança morre de câncer e, por ano, mais de 300 mil crianças de zero a 19 anos de idades são diagnosticadas com a doença no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS), por meio da Iniciativa Global para o Câncer na Infância, objetiva tornar esse tipo de câncer uma prioridade nacional e global, a fim de eliminar a dor e o sofrimento das crianças que lutam contra a doença e alcançar ao menos 60% de sobrevivência.

Os atores da saúde devem ampliar seu escopo de responsabilização por deixar um legado positivo para as próximas gerações de brasileiros. Mesmo aquele profissional de outra área que não a pediatria tem a obrigação de considerar as crianças em sua atividade, se de fato acredita que pode dar sua contribuição para que se construa um país melhor no futuro.

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Agentes apreendem droga sintética escondida na sola de tênis enviado ao CPP de Campinas

O calçado foi enviado pelos Correios supostamente pelo pai de um de um...

Campinas registra 88,4% de ocupação em UTIs Covid e SUS municipal segue com vagas só para grávidas

Balanço aponta que 252 das 285 estruturas estão ocupadas; há 33 instalações de terapia intensiva exclusivas para coronavírus...

Campinas registra mais 10 mortes por Covid-19 e chega a 1.836

Com sistema do Ministério da Saúde fora do ar, boletim desta quarta (24) informa que foi possível notificar...

Frente de prefeitos diz que negocia direto com farmacêuticas vacinas de Covid para reforçar plano nacional de imunização

Presidente da entidade, Jonas Donizette disse que mira Sputnik e Pfizer. Laboratório americano afirmou que só negocia com...

Polícia Civil prende fazendeiro suspeito de roubar 40 cabeças de gado em Santo Antônio de Posse

Animais foram levados de cinco lotes vizinhos à fazenda onde o homem reside com a irmã. Ele também...
- Advertisement -