sábado, junho 19, 2021

Trabalhar mais de 55 horas por semana aumenta risco de morte, diz estudo

O trabalho dignifica o homem, diz o ditado. Trabalhar demais, no entanto, pode levá-lo a uma morte prematura por doenças do coração ou um por acidente vascular cerebral. É o que diz um estudo conjunto da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT) publicado nesta segunda-feira, 17, na revista científica eletrônica Environment International.

De acordo com as estimativas da OMS e da OIT, em 2016, longas horas de trabalho levaram a 745.000 mortes pelas patologias citadas, um aumento de 29% desde 2000. O estudo conclui que trabalhar 55 ou mais horas por semana está associado a um risco estimado 35% maior de um acidente vascular cerebral e um risco 17% maior de se morrer de doença cardíaca isquêmica, em comparação com trabalhar de 35 horas a 40 horas por semana.

O peso das doenças relacionadas ao trabalho é maior em homens (72% das mortes), pessoas que vivem nas regiões do Pacífico Ocidental e do Sudeste Asiático e trabalhadores de meia-idade ou mais velhos. A maior parte das mortes registradas ocorreu entre pessoas com idades entre 60 anos e 79 anos que trabalharam 55 horas ou mais por semana entre as idades de 45 anos e 74 anos.

Além disso, o número de pessoas que trabalham muitas horas vem aumentando e atualmente é de 9% da população total em todo o mundo. Essa tendência coloca ainda mais pessoas em risco de invalidez relacionada ao trabalho e morte precoce. A nova análise surge no momento em que a pandemia Covid-19 está acelerando a tendência de aumento do tempo de trabalho.

“Nenhum trabalho compensa o risco de acidente vascular cerebral ou doença cardíaca. Governos, empregadores e trabalhadores precisam cooperar para chegar a um acordo sobre como estabelecer limites para proteger a saúde dos trabalhadores”, disse o Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS.

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Professores da escola que aluno recebeu críticas por sugerir tema LGBT lamentam caso em carta: 'Jamais nutrimos preconceito'

Corpo docente da Escola Estadual Aníbal de Freitas, em Campinas (SP), divulgou carta...

Atendimento a moradores de rua cresce 50% após ampliação do serviço durante frio em Campinas

SOS Rua aborda, mensalmente, 600 pessoas para oferecer abrigo. Desde maio, quando rondas aumentaram em duas horas, demanda...

Shoppings de Campinas alteram horário de funcionamento após ampliação do toque de recolher

Segundo a prefeitura, serviços, comércios e atividades devem fechar às 19h. Medidas começam a valer a partir desta...

Campinas tem maio com mais mortes no trânsito desde 2018, aponta Infosiga

Relatório registra 15 ocorrências no mês na metrópole, sendo sete delas envolvendo motocicletas. Em 2020, foram quatro óbitos...

Justiça Federal determina retenção do passaporte de Carlos Wizard após retorno dele ao Brasil

A decisão foi da 1ª Vara Federal de Campinas, após a Polícia Federal fazer buscas na casa e...
- Advertisement -